Wednesday, April 6, 2016

Ah, coração de poeta!/Chopin



*****
copyright
*****
Ah, coração de poeta! como podes tu florir?
Entre os oásis da terra e os enigmas do céu...
Sem te entranhares nos labirintos da vida
E os espelhares puros nas vozes do teu véu.
*
Ah, poeta! e quantos vapores de snobismo?
A vaguear na terra por entre brumas e esperanças
E no céu por entre mistérios e fragrâncias.
*
Rega-me antes com as cores da vida
Desde os tons da violeta até aos da orquídea vermelha,
Pois é nesses cheiros que se distinguem os amores genuínos
E transitam os barcos no mar em seus altivos desafios.
*
Ah, coração puro! mas que alquimia de cores!
Pintada em espelhos de risos e silêncios e sentidos,
Tal como nos transes das paixões altivas
Ardem menos os vapores do que os amores.
*
Ah, poeta! erro a vibrar nestes teu versos,
Em que todo o coração puro se quer fundir,
Até, no Universo, por paixão, a outros fazer florir!...

Véu de Maya

3 comments:

Laura Santos said...

Julgava já ter publicado este poema!...Decerto não publiquei o comentário que fiz...:-)
O poeta só florirá enquanto tal ao entranhar-se, tanto nos oásis da terra e nas suas tentativas de elevação aos céus, como na descida aos desertos áridos e à efervescência dos grandes infernos da vida. Só assim o seu florescimento será também a representação sublime de o homem em geral, das suas alegrias e dores.
xx

Laura Santos said...

Julgava já ter publicado este poema!...Decerto não publiquei o comentário que fiz...:-)
O poeta só florirá enquanto tal ao entranhar-se, tanto nos oásis da terra e nas suas tentativas de elevação aos céus, como na descida aos desertos áridos e à efervescência dos grandes infernos da vida. Só assim o seu florescimento será também a representação sublime de o homem em geral, das suas alegrias e dores.
xx

Luis lourenço said...

Ah, Laura Santos!-O poema é sublime,original/originário_. Quanto a comentários-seja espontânea-porque sendo, como diz, amante de poesia é isso que aprecio, enquanto poeta.

Grato pela presença.L.L.